sexta-feira, 30 de junho de 2017

Ah! Como eu queria.


sexta-feira, 23 de junho de 2017

O amor toma ares.


Com o efeito do amor.


Oculto da maldade.


É muito amor.


quarta-feira, 21 de junho de 2017

Nas suas docilidades.




Blog Lucia BARROS. 


Nas suas docilidades.
***

PH: Maria Lucia de Barros Gomes.
21/6/2017
***





Nas suas docilidades.

Há horas que o dia e o céu
Expandem-se em novos ares
E fazem os olhos, registrarem
As alegrias e os sorrisos
De lábios, vários lábios.

Com os seus serenos, encantamentos
Em, seus lentos andares.

É a vida florescendo
No jardim do amor
Procurando a serenidade
Juntando as almas
Nas suas docilidades.
Lucia Barros.
(Todos os direitos reservados.).
  Exceto a imagem do Google.
***

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Uma única mão criadora.


Blog Lucia Barros.
 
PH: Maria Lucia de Barros Gomes.
19/6/2017.

Uma única mão criadora.

São tantos sentimentos de aflição, que estão sendo vividos pela humanidade de tantas as formas: São catástrofes e destruições constantes, Ignorâncias absurdas, maus tratos desrespeitos, quanto a idosos e também com os nossos jovens, apostasias, ignomínias.
Os temores têm aumentado a cada dia, o celebro humano, vive uma guerra contra o tempo, contando o momento para suas escolhas darem certo e muitas vezes nada acontece.
E esperam na força pequena, existente dentro do seu eu, cheio de impaciência pela demora da não conquista, o atraso das promessas ditas e não cumpridas.
Embora muitas comunidades e templos, cheias de amor e clamores, tentam expressar a sua fé pelo mundo melhor e cheio de paz.
Ainda assim, o sofrimento tem aumentado e também daquele quê, quer enxergar a dor do próximo como se fosse a sua, tentando de todas as maneiras amenizarem os sofrimentos para um futuro melhor e abençoado no qual o povo é digno, mas não há outra maneira a não ser, dizer não a dualidade tornar-nos melhores seres, dóceis e comunitários.
O ser humano lutou pelos direitos iguais, mas muitas vezes a fato, lutam pelo contrário, em vez de quero vencer junto, conquistar junto, a exaltação impede a amigável distribuição valores, dos vamos fazer para vencermos, o bem dito vou vencer sozinho, maltrata a decisão de juntos somos mais.
Entendo para que se possa ser tolerável a aceitação, devíamos considerar a verdade de igual para igual, são sempre pelo mesmo motivo que o mundo se perde, pelas conquistas e poder, destrato de seres para seres que são corpos iguais que possuem sentimentos e dores. Há se todos pararem para pensar sobre este motivo lutava para ser melhor em sabedoria, a contribuição de vida em harmonia.
Todos se esquecem, somos humo da terra e não vai haver diferença para isto um dia, ai sim vai ser de igual para igual, diante a justiça divina, não vai haver nem ricos e nem pobres, nem diplomados e status e nem dinheiro de nada valerão.
Mas a esperança tem que vencer diante a meta, mesmo com sentimentos que ficam exilados no fundo da alma carente da humanidade, esperando dias melhores, uma luz brilhar no fundo do túnel, a fé que abrangerá uma luz sem fim e a vitória diante perdas e ganhos, dentre toda forma de vivência, não tem outra segurança, amor e a não ser: Uma única mão criadora.

Lucia Barros.
Poetaluciabarros@gmail.com

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Espírito além do corpo.

Blog Lucia Barros.
PH:Maria Lucia de Barros Gomes.
16/04/2017.

Espírito além do corpo.

Há muitos anos já não enxergo um corpo
Em sua beleza física, somente
Porque conheci, o outro lado da vida em seu envoltório, apenas
Na sua mistura de espírito e alma.
Também tem aqueles momentos de seu mais elevado, nível animal de ser o humano, implacável em suas atitudes...
Furiosas ou dóceis dos momentos vividos.
Na compaixão os inabaláveis misericordiosos dos momentos de fé em suas forças espirituais escolhidas, aquela que cada um vive do que se crê e para mim não há acepção, pois vivemos mesmo do que cremos.
Eu mesma vivo daquele que me formou e me criou conforme a sua imagem, embora não me apego à beleza, me cuido, pois somos semelhança e tudo que Deus nós concede, é para cuidar e cuidar bem.
Não consinto nem gosto da exaltação , quando a mim quer me tomar, me toca, para voltar ao meu ser natural, na observação constante, maior e o maior que eu.
Ao redor sim, a natureza me fascina, ainda mais o mistério de quem o formou a este me faz contagiar-me em tão grande humildade, de dentro da alma que me cativa a viver e saber, sempre tem o poder para se abster da formosura dos prodígios naturais e sobrenaturais.
Porque tantas formas ao mesmo tempo entre a natureza e os animais, seres humanos que lutam simplesmente para cada dia, ir de encontro à única e maravilhosa força, o da força vida eternamente vida, do aprendizado no qual nos ensina: O que está ligado na terra e esta ligado no céu, o bem dizendo nos ligamos o quanto antes então o que me fala a memória, o bem mais precioso um espírito em condições moderadas, ensinadas pela sabedoria do conhecer-se pelos ensinamentos no qual, há céu e terra, mãe terra e o céu para morada, pois, tem muitas moradas àquelas que nos proporcionamos com zelo absoluto de um espírito em evolução, se nada sabemos se procurarmos aprenderá, nós.
Há! A índole esta me da curiosidade cada um tem a sua... Ainda que haja algumas mudanças, esta será sempre a mesma, não é capa e se um dia esta escondida, com certeza um dia ela aparece, não fica oculta por muito tempo. É índole, tu és a índole em permanência total deliberando tudo DNA escolha única e não tem quem a mude, suportável ou insuportável, tem que ser tolerável por quem a domina mesmo sem denominação.
Acreditar em si, ate mesmo não acreditando, também é ter fé de prosseguir, a duvida toma conta às vezes de todas as pessoas, mas eu também aprendi...
Pela memória se derruba, mas também se levantamos e assim o mais miserável dos seres, nós em nossas lamúrias e descontentamentos dos desprazeres vividos do corpo.
Rum! Mas no gozo do espírito que um dia creio eu já existia antes mesmo dos nossos ossos no lugar certo. Quem me dera ter a escolha de viver sempre com um espírito na contemplação e não só da alma desejosas de tantas coisas, que muitas vezes não nos são tão certas, porque às vezes a alma se suja no lamaçal e se banha nos pântanos escuros.
Ainda assim sei quem sou eu, sou nada em meio a tantas formações que acabamos sempre aprendendo, viemos e vamos para o mesmo lugar em proporção divinal ou infernal, mas prefiro me abster de pensar no paraíso do que num gemido que jamais se acaba e quem o saberá o que lhe vai aguardar?!
“Porque “mais é quem tudo é quem tudo tem” Deus”, é dono de mim e de toda criatura, o dono do céu da terra dos mares, ares e astros estrelar.
Aprendi com a vida e com a morte, ao meu olho temeroso do que viu, aprendendo o que era corpo e se findou.
Espírito e alma com o livre arbítrio somos nós, como as sementeiras, brotam e nascem a cada amanhecer, assim é a vida, ser criatura é viver, eternamente viver.
Espírito em nós...
Espírito além do corpo.

Lucia Barros.
poetaluciabarros@gmail.com
(todos os direitos reservados.).

quinta-feira, 15 de junho de 2017

A justiça Divina.

BLOG LUCIA BARROS.
A justiça Divina
***
PH: Maria Lucia de Barros Gomes.
15/6/2017
***
A justiça Divina.
Mesmo sem saber o que estava acontecendo, de longe eu avistei as pessoas que vinham juntas, umas das outras... Cheias de fardos, amarrados sobre as costas e nas suas cinturas. Eram seus mantimentos e suas vestes, saiam conversando e às vezes, silêncios os tomavam conta dos seus seres cansados, abatidos e em meio às crianças maiores, havia um bebe que chorava sobre uma cesta grande, coberto por lençóis e cobertor.
Faziam de tudo com seus braços levantados, como em uma corrente humana, seguravam em bambus fortes, em cima dos bambus também carregavam mantimentos e a cesta com o bebê, e atravessando o rio com os braços erguidos, adentravam ainda mais águas para chegarem ao seu destino final.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Que bom que existem, almas boas.


Blog Lucia Barros.

PH: Maria Lucia de Barros Gomes.
8/6/2017.

Que bom que existem, almas boas.

Os lábios que falam, sobre a vida, sob momentos, às vezes os lábios se calam e também se fecham.
Os olhos brilham, cintilam diante o belo do que é o viver, mas também lacrimejam quando a alma entristece e quem sabe o que é se doar em espaço e amor sorri junto, chora junto, ajuda e abraçam com misericórdia, sozinhos nada somos.
É muitos podem pensar que caminham sozinhos, mas juntos todos nós na nossa caridade, podemos viver o melhor.
Vitória da vida só é confirmada na fé, esperança, paz e amo e muito posso dizer: Existem almas boas, com todas as pessoas que compartilhei momentos, emoções, diversões, confraternizações tão maravilhosas, abraçando-nos com carinho e amor, por caminhos doces e planos, sorrindo ou chorando nos abstendo de força para força de braços fortes e mãos dadas, ate suprindo de luz quando se aproximava as trevas, é o espírito que nos envolve de graça para brotar a perseverança, o animo fazendo resplandecer o clarão para não desistência.
Então jamais podemos dizer: _Se esfriou o amor porque o amor existe, diante aquele que o possui e distribui acolhendo as amizades, aconselhando para o melhor resultado em ambas as partes, assim é um futuro abençoado.
A, se todos pensassem em não querer ao próximo o que não se quer para si, o mundo se transformaria na paz desejada.
É em meio à vivência de muitos anos que se passaram e que prosseguimos, sempre houve e haverá o mal e o bem, somente precisamos acolher em nós amor e distribuir amor.
Mas nem só de amor se vive, muitos dizem que a lei da sobrevivência é fato, realmente é, de forma que confundem a transformação de caráter.
Que bom, ser alma boa...
Que bom que existem, almas boas.

Lucia Barros.
(Todos os direitos reservados.).
Poetauciabarros@gmail.com